Pequenos negócios terão acesso a financiamento por canais digitais

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) apoiará até R$ 4 bilhões em iniciativas que ofereçam crédito por meios alternativos para as micro e pequenas empresas, inclusive os microempreendedores individuais (MEI). Para isso, lançou na última quinta-feira (07/05), uma chamada pública para a seleção de fundos de crédito privado dispostos a oferecer crédito para os pequenos negócios com condições vantajosas, entre elas, menor custo e maior prazo.

Fonte: Internet

O objetivo do Banco é oferecer financiamento voltado para as micro e pequenas empresas com pouco ou nenhum acesso a crédito bancário, além de aumentar a oferta de canais de financiamento e estimular ainda mais a concorrência entre os agentes. O BNDES estima alcançar até 100 mil empresas com essa iniciativa.

Ao todo, devem ser selecionados até 10 fundos de crédito que deverão oferecer crédito no limite individual de até R$ 200 mil por cliente e pelo menos 75% das suas operações devem ter prazo igual ou superior a nove meses, incluindo 60 dias de carência. A ideia é ampliar a oferta de crédito de médio prazo com custo efetivo total para o cliente inferior a 3,5%. Entre as empresas que serão beneficiadas estão restaurantes que vendem por meio de canais digitais – pessoalmente e por meio de delivery, motoristas de aplicativos e pequenos comerciantes que operem com maquininhas. 

Recente pesquisa realizada pelo Sebrae, entre os dias 3 e 7 de abril, sobre o impacto do coronavírus nos pequenos negócios, mostrou que a maioria dos donos de micro e pequenas empresas (70%) não havia buscado empréstimo em instituições financeiras e entre os que buscaram, 60% tiveram a solicitação negada. 

Segundo o BNDES, os investimentos previstos estão alinhados com as medidas coordenadas pelo Ministério da Economia a fim de enfrentar os efeitos gerados pela pandemia do coronavírus. Os gestores de fundos interessados em participar da seleção têm 20 dias úteis para enviar suas propostas. No processo de escolha, serão levados em conta critérios como volume de recursos captados, custo do crédito para os pequenos negócios, impacto social e prazo das operações, entre outros.

Com informações da Agência Sebrae de Notícias.

Leia a reportagem no site do BNDES.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *