Crise empresarial: 5 passos rápidos para manter sua empresa

Confira o artigo divulgado pela Startup.SC , um projeto do Sebrae de Santa Catarina, com dicas para que você consiga estruturar as bases do seu negócio no cenário de uma crise empresarial e preparar um crescimento posterior aos momentos conturbados.

Em momentos de crise empresarial e recessão econômica, um dos cenários mais positivos em que os empreendedores podem pensar é na recuperação dos negócios. Independente do modelo, do tipo de produto ou serviço vendido, todas as empresas passam por crises, especialmente financeiras, ao longo de sua existência. No entanto, alguns contextos são mais difíceis, como é o caso da instabilidade econômica mundial diante da pandemia do novo coronavírus.

Em situações como esta, o que vai determinar a manutenção de saúde financeira da sua empresa durante a crise é a velocidade das análises de contexto e tomadas de decisão bem fundamentadas. Os líderes das empresas que conseguirem reconhecer as oportunidades dentro das novas circunstâncias do mercado e agir rápido em cima disso, irão sobreviver e se fortalecer.

Confira 5 dicas para que você consiga estruturar as bases do seu negócio no cenário de uma crise empresarial e preparar um crescimento posterior aos momentos conturbados.

#1 Faça uma avaliação do seu ambiente interno

Este é o primeiro passo quando pensamos em analisar o cenário atual da empresa. Neste momento, reúna-se com as lideranças e avalie os números dos últimos meses para entender como está a sua operação. Períodos como o isolamento social podem durar semanas ou meses na prática, mas os danos econômicos podem levar anos para serem recuperados. Por isso, prepare-se para cortar o máximo de gastos possível para manter a empresa por, pelo menos, dois anos.

Analise também:

  • A sua empresa possui fontes alternativas de capital adicional?
  • Algum investimento em vista ou dívida parcelada?

Neste momento é importante fazer essa análise, mas tendo em mente que o período da crise não é o ideal para captação de novos investimentos — até porque somente no contexto de startups brasileiras, o volume de aportes caiu em 85% —, mas que se a sua empresa já possuía um investimento em negociação, vale retomar as conversas.

#2 Conheça o cenário e contexto externo da crise empresarial

O cenário externo é o segundo pilar que irá sustentar as suas tomadas de decisão em momentos de crise empresarial. Setores como eventos, turismo, hotelaria, restaurantes e varejo em geral sofrem um grande impacto em momentos de crise. Por isso o contato com os clientes é um dos primeiros pontos de análise do cenário externo que deve ser realizada. Para essa análise, pergunte-se:

  • Como está a situação econômica dos seus clientes? Estão aptos a comprar?
  • Dos clientes deles?
  • E dos seus fornecedores?
  • Qual o percentual de desemprego no seu mercado?
  • Há previsão de retomada dos negócios deles?
  • Existem novos mercados ou necessidades emergentes com a crise que você possa aproveitar?

Uma crise também pode ser um momento importante para colocar a empatia e a sensibilidade em prática, para compreender que tipo de estratégias podem ser adotadas internamente pela empresa de forma a auxiliar os clientes e ao mesmo tempo reduzir o churn ao máximo.

#3 Pense em novos modelos de negócio e planos operacionais

O surgimento de novos potenciais mercados e clientes também pode ser uma forma interessante de recuperação dos negócios em uma crise empresarial. Em sua análise do mercado, identifique as novas dores que os seus clientes estão enfrentando com a crise e faça uma força-tarefa para entender como a sua empresa pode utilizar a expertise que já possui para desenvolver soluções inovadoras para essas necessidades.

Se a mudança for extrema, considere pivotar. Muitos negócios modificam seus rumos ao longo do tempo em função da validação de suas soluções, mas momentos de crise também podem funcionar como gatilhos para uma mudança de negócio. A alteração pode ser também no seu plano operacional, ou seja, na forma de oferecer o mesmo serviço.

#4 Valide os processos com a sua diretoria e investidores

Para as empresas que possuem um board de diretoria e investidores é essencial que todo o processo de análise seja validado nesta cúpula. No caso de startups que ainda não receberam investimentos, valide as definições elaboradas com mentores ou consultores especializados.

Normalmente essas pessoas possuem maior experiência nos negócios e estão em contato simultaneamente com diversas outras situações de crise empresarial e replanejamento. Assim, poderão opinar de forma sensata e construtiva para que a sua empresa siga o melhor caminho.

#5 Crise empresarial e demissões: reorganize recursos para evitá-las

Em momentos de crise, como foi possível identificar ao longo da pandemia do novo coronavírus não somente no Brasil, mas em todo o mundo, foi a demissão em massa de profissionais dos mais diversos setores.

Para que você consiga passar por esse momento de incertezas da melhor forma possível para os dois lados, considerando também as necessidades financeiras dos seus colaboradores, aqui vão algumas dicas:

  • Compreender o contexto e se colocar no lugar do colaborador;
  • Avaliar se as demissões são realmente necessárias, dentro do corte de gastos;
  • Caso seja essencial demitir, oferecer uma abordagem direta, transparente e humanizada, garantindo todo o amparo do setor de RH e as respostas às perguntas que os funcionários possam ter;
  • Tomar todas as precauções para realizar a abordagem sobre a demissão de forma remota, considerando o isolamento social promovido pela crise do coronavírus;
  • Prezar pelo bem-estar dos colaboradores que precisarem ser demitidos, e encontrar conforto também para você, aceitando que a situação foi necessária e você fez o seu melhor.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *